PPGENF-UFPA divulga:

No dia 09 de maio de 2024 às 15h, no Google Meet, ocorrerá a 132° Sustentação da dissertação do PPGENF/UFPA com a mestranda Monique Teresa Amoras Nascimento, intitulada: TRAJETÓRIA HISTÓRICA DA ATENÇÃO À SAÚDE INDIGENA AO POVO PARAKANÃ, sob a orientação da Profa. Dra. Nádile Juliane Nádile Costa de Castro.

A banca examinadora será composta pela Profa. Dra. Andressa Tavares Parente (UFPA), Profa. Dra. Karytta Souza Naka (Estácio) e Profa. Dra. Inara Mariela da Silva Cavalcante (UFPA).

O PPGENF/ICS/UFPA divulga o edital de seleção 2024 do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem com oferta de 25 vagas para candidatos com interesse nas áreas de concentração do programa, com duração de 24 meses, no formato presencial, com disponibilidade semanal de no mínimo 20 horas/semanais.

 

As inscrições ocorrem de 03 de maio à 04 de junho de 2024. As demais etapas do cronograma do edital os interessados devem baixar e fazer a leitura completa do edital.

Clique aqui para acessar o edital

 

Com muito orgulho o Programa de Pós-Graduação em Enfermagem parabeniza o egresso Me. Cleyton Abreu Martins que recebeu Menção de aplausos e reconhecimento pela Câmara de Vereadores do município de Conceição do Araguaia.

Com muito orgulho o Programa de Pós-Graduação em Enfermagem parabeniza o egresso Me. Cleyton Abreu Martins que recebeu Menção de aplausos e reconhecimento pela Câmara de Vereadores do município de Conceição do Araguaia.

Artigo publicado na revista internacional BCM Infectious Diseases, em 2023.

 

A pesquisa está vinculada com os projetos de pesquisa do Programa de Pós-Graduação em Enfermagem, e tem como autores os egressos Me. Ellen Cristina Correa Pinho, Me. José Jorge da Silva Galvão, os docente permanente Dra. Aline Maria Pereira Cruz Ramos, Dr. Carlos Leonardo Figueiredo Cunha, Dr. Eliã Pinheiro Botelho, Dra. Glenda Roberta Oliveira Naif Ferreira, docente colaboradora Dra. Cintia Yolette Urbano Pauxis Aben‑Athar e participante externo Richardson Augusto Rosendo da Silva.

 

O artigo intitulado "Social and individual vulnerability factors associated with syphilis among populations living on islands in the Brazilian Amazon" teve como objetivo principal estimar a prevalência de anticorpos contra Treponema pallidum e fatores de vulnerabilidade associados entre populações ribeirinhas de uma capital da Amazônia brasileira, por meio de um estudo transversal realizado entre moradores das ilhas periurbanas de Belém, norte do Brasil, no período de agosto de 2020 a janeiro de 2021. Os participantes responderam ao questionário e foram testados para sífilis por meio de teste rápido. Os dados foram analisados ​​por meio de regressão logística múltipla pelo software Minitab versão 20®.

 

As repercussões da epidemia de sífilis diferem de acordo com as populações. Identificar e reconhecer as diferenças e especificidades das populações é fundamental na concepção e implementação de políticas destinadas a assistir os grupos mais vulneráveis ​​à sífilis.

 

A sífilis circula entre as populações tradicionais da Amazônia e está associada a fatores de vulnerabilidade social e individual.

Estaremos em recesso a partir do dia 23/12/2023 e retornaremos com as atividades no dia 08/01/2024.

O Programa de Pós-Graduação em Enfermagem da Universidade Federal do Pará deseja a todos Boas Festas.

Artigo publicado na revista internacional BCM Pregnancy and Childbirth, em 2023.

 

A pesquisa foi extraída do PIBIC/CNPq da Jannaina Campos Beviláqua e orientação do docente permanente Prof. Dr. Diego Pereira Rodrigues, e coautores a mestranda Maura Eduarda Sousa Fernandes, a egressa Me. Laena Costa dos Reis, docentes permanentes Dr. Sílvio Éder Dias da Silva, Dra. Andressa Tavares Parente, Dra. Fabianne de Jesus Dias Sousa, e participantes externos Valdecyr Herdy Alves, Lucia Helena Garcia Penna, Bianca Dargam Gomes Vieira, Audrey Vidal Pereira.

 

O artigo intitulado "Health professionals' perceptions of planned home birth care within the Brazilian health system" teve como objetivo principal compreender a percepção de enfermeiras obstétricas sobre a assistência ao parto domiciliar planejado no âmbito do modelo obstétrico brasileiro por meio de um estudo qualitativo, com recrutamento Snowball Sampling, totalizando 20 enfermeiras obstétricas por meio de entrevistas semiestruturadas entre setembro de 2022 e janeiro de 2023, de forma remota, utilizando o aplicativo Google Meet e o recurso de gravação.

 

O Colégio Americano de Obstetras e Ginecologistas, no seu parecer do Comité de Prática de Obstetrícia, salienta que o parto domiciliário planeado é um direito da mulher e da família de experimentar, mas também de escolher e ser informado sobre o local de nascimento do seu bebê.

 

A assistência obstétrica no domicílio surgiu como contraponto à assistência hospitalar e ao modelo biomédico, proporcionando um cuidado no domicílio baseado em evidências científicas e na humanização, trazendo a informação qualificada como facilitadora do acesso e os custos financeiros como obstáculo para o parto domiciliar efetivo. Por isso compreensão dessa assistência mostra a necessidade de avanços como política pública e de estratégias que garantam qualidade e regulação.

Artigo publicado na revista Texto&Contexto Enfermagem, em 2023.

 

A pesquisa foi extraída do PIBIC/CNPq da Jannaina Campos Beviláqua proveniente do banco de dados da Dissertação da egressa Me. Laena Costa dos Reis e orientação do docente permanente Dr. Diego Pereira Rodrigues e coautores a mestranda Brenda Caroline Martins da Silva, a docente permanente Profa. Dra. Andressa Tavares Parente, e participantes externos Valdecyr Herdy Alves, Bianca Dargam Gomes Vieira, Lucia Helena Garcia Penna.

 

O artigo intitulado "Motivações de mulheres amazônidas para tomada de decisão do parto planejado" teve como objetivo principal compreender os significados das mulheres amazônidas quanto às suas bases motivadoras para tomada de decisão do parto domiciliar planejado, por meio de uma pesquisa de natureza qualitativa, teve como ferramenta de coleta de dados a entrevista

semiestruturada, com 20 mulheres amazônidas que tiveram partos em casa, entre os meses de novembro de 2021 a março de 2022, por intermédio do recrutamento Snowball Sampling.

 

Após a coleta de dados, as entrevistas seguiram os critérios de análise de conteúdo. Com isso, observou-se que a informação qualificada, rede e grupo de apoio produzem motivação e sentimento para o parto domiciliar, que contribuem para romper com o modelo hegemônico na obstetrícia, e, assim, recusar intervenções desnecessárias, resultantes do saber médico instituído que, culmina, muitas vezes, na violência obstétrica. A segurança, também, constituiu um fator central para vivenciar o parto no domicílio, como sentimentos de liberdade, coragem e empoderamento sobre suas escolhas e vontades.

 

Há convergência com as demandas atuais sobre o cuidado positivo perante o respeito da tomada de decisão feminina que, por meio do apoio e informação, constituem aspectos centrais para garantir uma assistência conforme as expectativas das mulheres amazônidas, a fim de romper com o modelo hegemônico na assistência obstétrica, visto que o parto em casa garante de forma efetiva a sua vontade, que deve ser ouvida e respeitada.